top of page
  • Foto do escritorCassio H. F. Ramos - Fundador

Programa BRDE Labs RS divulga startups vencedoras de 2023

Em evento realizado na tarde desta segunda-feira (dia 4/12), no Instituto Caldeira, em Porto Alegre, foram conhecidas as quatro startups premiadas pelo BRDE Labs RS 2023, programa realizado pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), em parceria com a Universidade Feevale, por meio do Feevale Techpark. A grande vencedora foi a Blix – Soluções em Tecnologia, empresa de Porto Alegre que atua como parceira tecnológica de outras startups e também com uma solução própria para o mercado de conteúdos digitais. Ao todo, foram distribuídos cerca de R$ 170 mil em prêmios.





A premiação contou com a presença do governador Eduardo Leite, que ressaltou o fato do Rio Grande do Sul reunir um ecossistema de inovação reconhecido em todo o país. “Isso permite nos apresentarmos com relevância ao mundo justamente por conta da capacidade das nossas universidades, do empreendedorismo local e também pela capacidade do setor público em dar o suporte a quem buscar inovar”, destacou. Leite salientou a necessidade de reter talentos no estado, a partir de um cenário que estimula alavancar novos negócios. “Para isso, precisamos ter um ambiente acolhedor, que respeite as pessoas. Não há como termos uma efetiva prosperidade econômica nesse novo mundo sem avanços civilizatórios. É isso que queremos para o nosso estado”, frisou Leite.


Inovação e desenvolvimento


Para o vice-presidente e diretor de Operações do BRDE, Ranolfo Vieira Júnior, o programa de capacitação de startups se insere na missão do banco em apoiar o desenvolvimento na região Sul. “O BRDE tem no seu DNA apoiar a inovação, pois não existe crescimento econômico sem estar associado às novas tecnologias”, observou Ranolfo. Ele ressaltou que o banco é o maior operador nacional de recursos da Finep em apoio às empresas inovadoras dos três estados do Sul.

O reitor da Universidade Feevale, Cleber Prodanov, destacou o quanto o conhecimento é determinante para as mudanças na sociedade. “Uma universidade tem um papel não apenas na formação de pessoas, mas na formação de ideias e na transformação do mundo. E quando nos conectamos com todos aqueles que querem inovar o mundo, com o poder público, com as empresas, com o meio ambiente e com a sociedade, temos sucesso”, afirmou reitor.


Ao saudar a contribuição das equipes que atuaram na execução da quarta edição do programa, o diretor de Planejamento do banco, Leonardo Busatto, observou que o BRDE Labs RS já faz parte da agenda da inovação. “O BRDE soube entender todo esse processo de evolução do ecossistema gaúcho que avançou nos últimos anos. É uma iniciativa relevante e que ofereceu ganhos a todas as startups, não apenas as quatros vencedoras”, arrematou Busatto.


A premiação contou as presenças da secretária estadual de Inovação, Ciência e Tecnologia, Simone Stülp; da diretora de Inovação da Feevale, Daiana de Leonço Monzon,, e do gerente de Planejamento do BRDE, Alexander Nunes Letizke. Antes do momento da premiação, os convidados e quem acompanhou a transmissão on line do evento pode conferir a palestra do jornalista Luciano Potter.


Vencedoras

As quatro startups – entre as 13 finalistas previamente classificadas para o evento de premiação –, receberam prêmios em dinheiro, que totalizam R$ 170 mil, conforme a ordem de classificação. Além disso, terão possibilidades de realizar POCs (Provas de Conceito) e negócios diretamente com as empresas parceiras. Conheça cada uma:


1ª colocada: Blix – Soluções em Tecnologia (foto abaixo), receberá R$ 84.627,87: de Porto Alegre, a startup de tecnologia da informação atua como parceira tecnológica de outras startups e conta, ainda, com uma solução própria para o mercado de conteúdos digitais.


2ª colocada: Painel Constru, receberá R$ 42.313,94: projeto do ramo de Indústria, Comércio e Serviços da capital gaúcha, é uma plataforma de orçamentos para construção civil, grátis e com cashback.


3ª colocada: Lemon go Inteligência em Vendas, receberá R$ 26.446,21: também de Porto Alegre, é uma startup de inteligência de consumo da área de Indústria, Comércio e Serviços. O objetivo é auxiliar as empresas entenderem os comportamentos de seus clientes para melhorar as vendas e a retenção.


4ª colocada: Biosens, receberá R$ 5.867,73: de São Leopoldo, a deep tech da área da Saúde atua da pesquisa à comercialização de dispositivos point-of-care testing (testes no ponto de atendimento). Utiliza tecnologias disruptivas como grafeno, nanopartículas de ouro e CRISPR (Clustered Regularly Interspaced Short Palindromic Repeats).


Sobre o BRDE Labs RS

O BRDE Labs tem como objetivo capacitar, gratuitamente, os empreendedores, fornecendo ferramentas que os auxiliem a validar suas soluções propostas, identificar mudanças necessárias (pivotar) e atingir o mercado-alvo com a maior assertividade possível, por meio de metodologia inovadora, fomentando a conexão com grandes players. Iniciado em junho, o programa selecionou 14 projetos (entre os mais de 120 inscritos) do Rio Grande do Sul nas áreas de Indústria, Comércio e Serviços; Tecnologia da Informação; Saúde; e Agronegócio, que participaram do processo de aceleração no Feevale Techpark. Na fase final, 13 startups participaram da aceleração. Eram elas: iHUB Business; Lemon go Inteligência em Vendas; Missão Criativa; Painel de Preços da Construção; Supermídia Digital; Artisan; Blix – Soluções em Tecnologia; Floki Sys; Biosens; HealthID; VanellusRad; Bioplix PD&I – Soluções em Transformação; e Farmcont.

No Rio Grande do Sul, além do Feevale Techpark, selecionado pelo BRDE para aplicar sua metodologia na execução do trabalho junto às startups, outras empresas parceiras do banco participaram da aceleração como âncoras: Altus, Aesc – Hospital Mãe de Deus, CCGL, Coester, Dublauto Gaúcha, Fida, Haas Madeiras, Lifemed, Novus, Palterm, Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, Vipal Borrachas e Xalingo. As empresas contribuíram com suas experiências para mentoria e propuseram desafios que pudessem ser solucionados pelos participantes, uma prática já consolidada no mercado e um dos aspectos mais relevantes do programa.


No período de aceleração, as startups participaram, cada uma, de mais de 30 horas de cursos especializados, mais de 100 horas de mentorias e mais de 80 horas de encontros individuais. Durante o programa, foram assinados, ainda, 16 Non Disclosure Agreements (acordos de não divulgação) entre âncoras e startups do programa, bem como 44 propostas comerciais seguirão em andamento após – também entre âncoras e startups. Além disso, estão agendadas 23 Provas de Conceito (POC) e seis fundos de investimento encaminhados.


Fotos: Maurício Tonetto/Secom

Textos com colaboração da Assessoria de Imprensa da Feevale

Posts recentes

Ver tudo

댓글


bottom of page