• Alexandre Job

Um mundo de dados e eu continuo sem informações. QUAL O PROBLEMA?

A cada passo, a cada local visitado, um local onde você estaciona o seu carro, cada evento da sua vida cotidiana, tudo hoje gera dados. Nos negócios também acontece isso: cada acesso, cada e-mail, cada ação: DADOS, DADOS e +DADOS!


Enquanto a quantidade de dados criados a cada minuto aumenta exponencialmente, as opções de tecnologias disponíveis também aumentam e evoluem. Estamos numa encruzilhada, pois nunca tivemos tantos dados e ainda assim, o que mais se escuta das pessoas é:



SE EU TENHO DADOS E TENHO TECNOLOGIA, ALGUMA COISA ESTÁ ERRADA, POIS EU AINDA NÃO TENHO AS INFORMAÇÕES QUE PRECISO!



Vamos separar os nossos problemas em tópicos para analisar melhor:


O primeiro passo dentro da análise de dados é saber qual é a informação que o seu negócio realmente precisa, quais são as informações que realmente são necessárias para tomada de decisões. E quando eu falo em definir qual informação, eu estou querendo dizer que é necessário explorar os cenários de negócio do passado, do presente e do futuro.


Não devemos achar que ter TODAS as informações ajudam na tomada de decisões, muito pelo contrário, quando temos informações em excesso, a dificuldade só aumenta, geramos indecisão e divergências entre os diferentes níveis da organização, e em algumas ocasiões o processo de decisão entra em "looping", demora demais ou nunca acontece. Mesmo na era do BIG DATA, você não precisa ter todos os dados pra ter a informação necessária. SEJA ESPERTO E SELECIONE PARA USAR, APENAS OS DADOS QUE MUDAM O SEU NEGÓCIO.




Nenhuma tecnologia funciona sem uma análise de problemática. Hoje em dia falar de Inteligência Artificial (A.I.) virou moda. A.I. sem uma boa base de dados, sem um bom treinamento do algoritmo (sim, um humano precisa treinar o algoritmo da A.I.!), de nada adiantará. Temos ainda as situações em que queremos colocar percepções (feeling) para dentro dos dados, gerando um viés pessoal na análise.


A tecnologia precisa ser adequada à problemática. Se não soubermos definir a problemática, se não soubermos o que queremos, nenhuma tecnologia servirá. APRENDA A FAZER A PERGUNTA CERTA.




No final de tudo, teremos dados transformados em informações inteligentes e poderosas, com capacidade de mudar o rumo de um negócio. Teremos tecnologia adequada e disponível, executando toda a carga de trabalho que os humanos já não dão mais conta. Enfim, quando estiver tudo pronto: SABEREMOS TOMAR AS DECISÕES?


Qual é a capacidade analítica dos gestores, das equipes dos diferentes níveis ou processos? O que entendemos de estratégia de negócio, de tendências, de mercado, de comportamento de consumo? Se tudo o que foi construído em termos de tecnologia e informação mostrar que na linha do tempo os negócios tiveram um “UP”, ótimo. Se não for esta a realidade, lamento informar: Não adianta ter a tecnologia e nem a informação, ninguém saberá o que fazer mesmo! Então treine as equipes para serem analíticas, para tomada de decisões, para análise de negócios. TREINE MUITO, TREINE LOGO!




Por fim e não menos importante, a tecnologia e o conhecimento de negócios precisa permear a organização como um todo. Tecnologia não é de TI e muito menos o conhecimento de negócios é proibitivo a TI. Precisamos fazer com que as áreas de negócios entendam o mínimo necessário de tecnologia assim como precisamos que a área de TI, que deve habilitar os negócios da empresa através da tecnologia, também entenda o mínimo necessário de negócios. Confuso, hein? Mas é necessário entender esta construção. TECNOLOGIA E CONHECIMENTO DE NEGÓCIOS NUNCA FORAM TÃO BEM ARTICULADOS.



Em resumo, sabem do que eu estou falando? Estou falando de Cultura Analítica. Cultura analítica é a junção dos 4 aspectos citados acima, que transformados em atitude e comportamento dentro dos diferentes níveis hierárquicos das organizações, são capazes não só de mudar o presente em termos de resultados, são capazes de CRIAR O FUTURO DOS SEUS NEGÓCIOS.

92 visualizações

Posts recentes

Ver tudo